Grupo Facebook

 
Grupo do Som Brutal
Grupo público · 126 membros
Aderir ao grupo
O Grupo Som Brutal é aberto a todos os que gostam de música dentro da temática Rock/ Metal. Existe liberdade de divulgação e comunicação dentro do gru...
 

SOM BRUTAL #10 Junho

Outubro 26, 2020

A casa de todo Metal

Os Bielo-Russos The Agony Column lançaram o primeiro EP «… away from Luciferian Claws»

A banda Bielorrussa Gothic Doom / Dark Metal The Agony Column lançou seu primeiro EP «… away from Luciferian Claws». O EP foi mixado / masterizado e pós-produzido por Koliopanos Filippos na “Aesthetic Soundscapes Productions”. Capa feita por Andrei Bogdanov. Lançado pela gravadora russa de metal “Patriot”.

The Agony Column foi formada em 2018 por Ulya Kotozhuk (Vocal), David Kobain (Vocal), Aleksey Chirkun (Guitarra), Dmitriy Maliuk (Baixo), Anna Zlotnik (Violino) e Roman Stroiev (Bateria). A banda começou o seu caminho musical como uma banda de cover´s, mas logo começaram a criar sua própria música e lançaram sua primeira demo “Delirium” em Setembro de 2018.

O colectivo, bastante conhecido dos amantes do género no espaço pós-soviético, percorreu um longo caminho desde a realização de versões cover das melhores bandas do género até a criação de sua próprio som, seu próprio mundo e mito.

“… away from Luciferian claws” é um álbum profundo, até certo ponto meditativo, no qual parece haver um diálogo das forças do outro mundo: o rugido de almas inquietas prenunciando tormento e o canto de vozes angelical clamando por arrependimento, perdão e amor.
8 canções dominam o ouvinte como um monólito e as faixas vão fundo no coração e continuam a sussurrar sua história, mesmo quando a última nota morreu.
Material melódico, pesado e variado com uma atmosfera de escuridão medieval. Um som gótico clássico, que retorna com o primeiro EP da banda.

Musicalmente, são peças sombrias e melódicas, onde um dueto de uma soprano de cristal e um rugido grave é acompanhado por melodias brilhantes de violino e teclado em contraste com guitarras pesadas.
As composições respiram plenitude e aceleram desde a morte fúnebre até a morte melódica, o que é especialmente importante durante apresentações ao vivo, quando a dinâmica e o impulso são importantes.

Conceptibilidade e consideração dos detalhes – desde música e letras a arte e imagens de palco, onde cada detalhe é trabalhado de forma a trazer uma combinação perfeita, harmonia e dar-lhe um sub-texto que não é visível a um olhar superficial.

O nome da banda é emprestado do jornalismo ocidental e significa uma coluna especial no jornal onde as pessoas escrevem sobre suas experiências mais sombrias e opressivas, sobre as quais não têm controle.

O mundo The Agony Column é a escuridão da Idade Média, multiplicada pela beleza das catedrais, a escuridão das sepulturas não marcadas, cruzadas com o calor de uma vela e um estertor mortal apagado pelo arrependimento.
Os próprios músicos descrevem seu trabalho com as palavras: “Se a sua alegria for negra, qual seria a sua tristeza?”